Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sweet Nothing

Sweet Nothing

Ter | 17.08.10

Don't stop dreaming - Capítulo #19

Bem, aqui está um novo capítulo.
Espero que gostem.

Beijinhos

 

Capítulo #19

 

Maldita campainha. Estávamos tão bem, Edward tentou que eu não me levanta-se, tentou colar os seus lábios aos meus.Era quase impossível resistir, mas teve de ser. Levantei-me e fui abrir a porta, Edward segui-me até há porta. Quando a abri, um homem estava a conferir uns papeis e olhou-me:


Empregado: Oh, olá. Você deve ser a filha do casal Stuart.

Anne: Sim, sou eu.

Empregado: Bem, nós somos da agência de mudanças, vimos trocar a mobilia de um quarto.

Anne:Sim, eu sei, Eu indico-vos o caminho.

Empregado: Obrigada.

 

Mostrei o quarto e fui para a sala com Edward. Ligamos a televisão e andávamos sempre a mudar de canal.

 

Anne: Estás farto de estar aqui,amor?

Ed: Claro que não, nunca me farto de estar contigo.

Sorri-lhe e encostei a cabeça ao ombro de Ed, não sei quanto tempo me fez festas no cabelo , mas acabei por adormecer. O sonho acabou por ser atribulado, sonhei que Ed estava num penhasco e que ia matar-se. Eu corria, e gritava mas ele não me ouvia. Acordei sobressaltada, a gritar por Ed. Ed não estava ao pé de mim, chamei mas ninguém respondeu. Corri até há porta e ele estava lá a agradecer aos empregados. Quando fechou olhou para mim e disse:

 

Ed:Annie estás bem? Estás muito pálida.

Uau que grande elogio, mas ele estava lá era o que importava.

Anne: Tive um sonho horrível, tu ... tu ias matar-te! - engoli em seco- e eu gritava e tu não ouvias.

Abraçou-me e passou a mão no meu cabelo.

Ed: Está tudo bem, eu estou aqui e não me vou matar.

Voltei a beijá-lo, muito lentamente como na cozinha, senti as mãos dele descerem do meu cabelo até há minha cintura. Dei passos para trás até chegar ao sofá, deitei-me e não nos separamos, não sabia o que ia acontecer a seguir. Coloquei as minhas mãos na cintura de Edward, era perfeito. Edward separou o beijo lentamente e beijou o meu pescoço, eu sabia que não era altura certa para avançar e então Edward proferiu:

 

Ed:Não tenho pressa, o que tem de acontecer acontece. Ainda é cedo.

Anne: Eu ainda não estou preparada, desculpa

Ed: Eu não quero forçar-te a nada, quando tiver de acontecer acontece.

Anne: És especial, e sim quando tiver de acontecer acontece. As mudanças correram bem?

Ed: Sim, não te preocupes. Ainda bem que adormeceste.

Anne: Porque dizes isso?

Ed:Nada ...

 

Fiquei desconfiada, aquela resposta de Ed não convencia ninguém. O que se teria passado, Edward ficara estranho.

 

[Edward]

 

A minha resposta não a tinha convencido, mas eu não podia dizer. Anne, não podia saber que um piano preto estava agora no quarto de Richard. Talvez fosse o piano que Anne tinha partilhado com Richard quando eram pequenos, esse piano estava agora no quarto de Richard. Ela tinha reagido mal quando viu o meu, como reagia ao ver aquele que era dela. E porque? Porque um piano para o quarto de um rapaz que nem sequer morava cá. Uma ideia assaltou a minha cabeça... não,não podia ser.

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.