Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweet Nothing

Sweet Nothing

Qua | 25.04.12

and i feel so rough



Desculpem não ter andando por aqui antes nem ter dado sinais de vida. A minha vida anda uma confusão, testes atrás de testes, problemas familiares atrás de problemas familiares e como se não bastasse alguns problemas de saúde à mistura. Não sei quando vou postar alguma coisa das histórias, e espero que compreendam.

Como é que vocês andam? Espero que bem ....


Deixo-vos com a música mais linda destes últimos dias.
Sab | 14.04.12

as estrelas também fazem anos

As estrelas também fazem anos, e mesmo longe de mim eu tenho uma coisa guardada no meu coração: a tua gargalhada. Parabéns minha avó, AMO-TE

Qui | 12.04.12

eu e o suposto melhor amigo #1

Título da "rúbrica": eu e o suposto melhor amigo

Definição: Recriação fiel dos meus diálogos com ele, tanto podem ser profundos como estúpidos. São os nossos pequenos momentos, e eu adoro-os!

 

eu e o suposto melhor amigo #1

 

Rapaz feio e irritante: O que se passa?

Ana: Nada...

Rapaz feio e irritante: Estás triste, hoje.

Ana: Não.

Rapaz feio e irritante: Estás sim.

Ana: Pára de ser chato, R.

Rapaz feio e irritante: Sou chato por dizer a verdade?

Ana: És sim, e muito. Agora cala-te e deixa-me ouvir a matéria.

Rapaz feio e irritante: Pronto, fica lá com a matéria e deixa-me aqui sozinho.

Ana: Faz o beicinho que eu tanto gosto, faz.

Rapaz feio e irritante: Não querias estar atenta, estúpida?

Ana: Sim, parvo. Agora cala-te.

 

* Dez minutos depois*

Rapaz feio e irritante: Sabes, lembrei-me de uma coisa que vi no face.

Ana: Ai sim, e ... ?

Rapaz feio e irritante: Estar triste é como ter pastilhas, quando te perguntam se estás triste dizes sempre que não.


Qua | 11.04.12

Diálogo sem sentido algum, entre o meu coração e a minha consciência

- Tu não entendes, pois não?
"Não, não é possível acreditar no que me tentas ensinar forçadamente."
- Não é forçadamente, é verdadeiro.De imposição para verdade vai uma grande diferença.
" Pois vai, mas tu não sabes distinguir amor de amizade!"
- Sei sim, claro que sei.
" Vejamos... Sentes a falta dele, só não queres admitir.
*Silêncio*
" Precisas dele, só não o queres mostrar"
*Silêncio*
"Sorris que nem louca quando o nome dele sai por alguma boca"
*Silêncio*
" O teu estomâgo dá meia volta quando ele se aproxima ou toca."
*Silêncio*
" E enquanto te faço estas afirmações, mesmo sem te indicar a quem me refiro, um nome paira na tua cabeça"
*Silêncio*
" Verdade?"
- Sim.
" E agora, será amor ou amizade? "
*Silêncio*
"Tu amas-o mas não consegues admitir, nem para ti própria, muito menos a alto e bom som."

Dom | 08.04.12

Before you leave me - Capítulo VI

No capítulo anterior:

Os olhos castanhos de Zayn olhavam-me e aproximei-me dele no preciso momento em que ele se aproximou de mim. As suas mãos apoiaram-se na minha cintura e as minhas ladearam o seu pescoço, a pouco e pouco acompanhamos o ritmo que a canção impunha. O meu rosto encontrava-se encostado ao seu peito, permitindo-me inalar o seu perfume.

 

Before you leave me - Capítulo VI

 

- Acho que te vou impedir de sair de casa, ou então nunca mais vens a festas nesses preparos. – Disse-me em tom baixo e brincalhão.

- Que mal tem? – Perguntei-lhe no mesmo tom, mas não o olhei nos olhos era difícil controlar-me se o fizesse. – Pareces o Charles.

- Uma mulher bonita atraí demasiados olhares, - respondeu-me um pouco mais baixo e mais perto do meu ouvido, - e se já és bonita normal, envergonhada ficas mais.

- Pára com isso, Zayn. – Pedi-lhe tendo a perfeita noção de que olhá-lo nos olhos era uma tarefa difícil, mas eu adorava desafios.

- É verdade, e não podes negá-lo. – Respondeu-me, fixando os seus olhos nos meus.

- Poder até posso, e vou fazê-lo. – Respondi-lhe.

- É feio mentir, - recomendou-me e voltou a colocar o seu rosto perto do meu ombro e em tom baixo, envergonhou-me novamente: - por isso eu digo sempre a verdade.

- Parvo. – Acusei-o, sorrindo contra o seu peito.

- Irmã minha, nunca mais sai de casa nestes preparos e nunca mais ousa insultar o irmão mais velho. – Zayn utilizou um tom bastante convicto e quando a música acabou depositou um beijo na minha bochecha, embaraçando-me. Ele tinha-me chamado irmã.
(...)
Às cinco da manhã, só eu, Zayn, Niall, Mary, Jess e Harry é que permanecíamos na festa. Festa?! Aquilo já não se podia chamar assim, agora teria o nome de desastre ou algo do género. Niall mandou o seu corpo contra as almofadas e fechou os olhos por dois segundos, estava cansado tal como todos nós.
- Pessoal, quanto mais depressa se arrumar isto, mais depressa vamos para casa descansar. – Queixei-me um pouco sonolenta.
Harry estava sentado bem perto da piscina e da maneira que o seu corpo balançava, estava prestes a ficar ensopado. Zayn, ainda se encontrava acordado mas também estava sentado no mármore em volta da piscina. Dirigi-me até Mary e levantei-a, fiz o mesmo com Niall e Jess.

- Festa vocês querem, arrumar que faz parte ninguém gosta. – Lamentei-me, começando a apanhar os copos de plástico espalhados pelo jardim.

Já no orfanato era assim, depois de todas as festas todos se escapavam e as limpezas eram feitas por mim, Melissa e duas auxiliares do lar. Durante mais de cinco minutos, apenas eu e Jess pusemos mãos ao trabalho: enquanto ela apanhava os guardanapos e os restantes papéis eu coloquei os copos e os talhares de plástico no lixo. O primeiro a vir ajudar, foi Zayn acompanhado por Niall. Harry e Mary ainda adormeceram durante um bom bocado mas depois disso todos limpamos e deixamos o jardim como deve ser. As limpezas eram algo que me distraia de tudo, quando estava mais em baixo ou não queria falar com ninguém antes de me fechar no silêncio, limpava. Pode ser considerado estranho mas, para mim, é normal.

- Adeus Jess, boa viagem e não te esqueças de ir ao skype de vens em quando. – Recomendei-lhe, abraçando-a.

- Fica prometido, obrigada por teres convencido estes mandriões a ajudar nas limpezas. – Jess tinha um inglês mesclado de espanhol que a tornava única.

- Nós já queríamos ajudar. – Balbuciou Harry, meio acordado meio adormecido.

- Claro que queríamos, - defendeu-se Zayn – faz boa viagem Jess.

- Obrigada meninos, até às próximas férias.

Depois de termos deixado Niall à porta de casa, Zayn e eu encaminhamo-nos para casa. O sol ainda não tinha nascido e pouca gente se encontrava nas ruas. Uma brisa fresca corria, o que me fazia arrepiar da cabeça aos pés.

- Como é que vocês conseguem andar com esses sapatos? – Zayn caminhava ao meu lado, de mãos nos bolsos e casaco desapertado.

- Eu dizia o mesmo até receber o primeiro par, e acredita que nas duas primeiras festas prometi a mim mesma que nunca mais ia usar... - respondi-lhe, recordando o momento em que Mel me deu os meus primeiros sapatos altos pretos. – Depois, é como se costuma dizer, primeiro estranha-se depois entranha-se.

Zayn sorriu e despiu o casaco de cabedal que trazia, passando-me em seguida pelos ombros. – Estás a tremer da cabeça aos pés – constatou.

- Estamos quase a chegar a casa, e tu ainda te vais constipar. Volta a vestir o casaco. – Recomendei-lhe.

- Não te preocupes, eu vinha com ele desapertado e não tenho frio. Precisas mais do que eu. – Respondeu-me, retirando-me o casaco das costas e, com um jeito rápido, enfiou as mangas nos meus braços. – Assim está melhor. – Concluiu quando se colocou á minha frente e puxou o fecho até cima.

- Zayn? – Chamei. – Não me contaste o porquê de teres ficado assim quando o Danny se meteu comigo ...

Zayn colocou-se novamente ao meu lado e deu três passos largos. Deixei-me estar no mesmo lugar onde Zayn me tinha colocado o casaco. Zayn parou, colocou as mãos à cabeça e voltou-se novamente para mim.

- Não vale a pena tocar nesse assunto ... - acabou por confessar em tom baixo. – Um dia, eu conto-te. Por favor, não fales com aquele idiota. Não lhe dês confiança...

Zayn voltou atrás, colocou as mãos no meu rosto e ficamos frente a frente. Olhos nos olhos. Aqueles olhos castanhos ...

- Por favor, não te aproximes dele. – Sussurrou-me. – Ele sabe como se aproximar, ele sabe como ... Colbie, ele sabe magoar.

- Zayn ... eu não me vou aproximar dele mas eu preciso de saber o porquê. Por que é que toda a gente me diz isso?! – Bradei em tom alto. – Eu não tenho motivos para me querer aproximar dele, mas eu preciso de uma justificação plausível para o facto de: o Harry, o Niall, tu e a Mary – as únicas pessoas com quem tenho alguma confiança – não me quererem perto dele.

- Tu vais saber, acredita no que eu te digo. Eu conto-te, mas não agora... As coisas ainda estão muito frescas...

- A ferida ainda não sarou? – Perguntei-lhe, olhando aqueles olhos castanhos que me faziam arrepiar, e vi que tinha tocado no ponto fulcral da questão. – Zayn ... só preciso de um "sim" ou "não". Por agora basta ...

- Não, a ferida ainda não sarou. – Os olhos são o espelho da alma, e desta vez aquele tom castanho esmoreceu e reflectiu dor. – Vamos para casa.

- Vamos. – Esbocei um pequeno sorriso encorajador e recebi um beijo no topo da cabeça.

Retirei os sapatos à entrada de casa, como sabia bem andar descalça. Zayn, deu-me um leve encontrão de ombro e apontou para o relógio de parede: seis e um quarto da manhã. Oh boa, Charles já se encontrava acordado e devidamente pronto para mais um dia de trabalho.

- E agora? – O meu tom de voz saiu um pouco nervoso quando encarei Zayn.

- Agora? Agora rezamos para que a minha mãe ainda esteja pregada no sono. Quanto ao Charles não te preocupes, ele não liga muito aos horários quando estamos de férias. Anda – puxou-me pela mão em direcção à cozinha – vamos tomar o pequeno-almoço e depois, dormir.

-Bom dia pai. – Zayn saudou Charles como se nada fosse e verifiquei que esta não era a primeira vez que Zayn chegava a casa a tarde e a más horas, encontrando Charles já pronto para mais um dia. – Dormiste bem?

- Bom dia, Charles. – Saudei, dirigindo-me ao frigorífico para retirar um iogurte liquido.

- Bom dia meninos. – Charles deu ênfase à palavra dia, libertando um sorriso. – Têm sorte que a Rose ainda está ferrada porque senão não se libravam de um bom sermão matinal. Divertiram-se?

- Sim, foi brutal e a culpa de chegarmos a esta hora foi ali da menina Colbie.

- Minha?!

- Quem é que nos fez limpar o jardim depois de a festa ter acabado? – Zayn estava agarrado ao seu copo de leite frio que tomava todas as manhãs.

- Puseste toda a gente a arrumar depois da festa, Colbie? – Charles parecia incrédulo com a minha atitude. – Aleluia, alguém com cabeça.

- Toda a gente não mas, o Niall, o Harry, a Mary, a Jess e o menino que está para ali a reclamar de galo, - exclamei apontando para Zayn – sim.

- Acho muito bem. Só tinham que ajudar a Jess, a rapariga ainda tinha de limpar as coisas antes de ir embora para o México e não vos custou muito ajudar. – Charles terminou o seu café e tratou de levantar a loiça que tinha utilizado. – Eu bem te avisei para ires mais agasalhada, Colbie.

- Não te preocupes, não tive frio. – Informei-o terminando o meu iogurte e colocando a embalagem no lixo.

- Por isso é que o Zayn te emprestou a casaca dele, que por acaso te serve quase como vestido. – Interveio Charles num tom animado. – Vá, comam mais alguma coisa e depois vão para a cama. Se a Rose vos vê aqui, a uma hora destas não vos vai deixar pregar olho o dia inteiro. Até logo meninos.

- Adeus pai. – Zayn terminou o seu pequeno-almoço veio ao meu encontro, visto que anteriormente estávamos em sítios opostos. - Posso roubar a minha casaca, ou ainda tens frio?

Assenti e muito devagar, Zayn levou a sua mão direita ao fecho da sua casaca de cabedal a outra mão repousava na banca da cozinha onde o meu corpo se encontrava encostado. Zayn, fez todo aquele movimento muito calmamente e os seus olhos balançavam entre os meus e a casaca que, passo a passo, se abria. Era estranha esta nossa proximidade, esta proximidade entre os nossos corpos era estranhamente doce, e acabou por descontrolar a minha respiração. A de Zayn também não se encontrava propriamente normal, eu senti-a no meu rosto. Os meus olhos fixaram-se nos seus ... Eu não sabia o porquê de o meu corpo se deixar ficar, de querer esta proximidade... Zayn pareceu-me ter as mesmas dúvidas. Fomos "acordando" do transe em que tínhamos permanecido: a casaca de couro deixou, aos poucos, de me proteger do frio. Beijei a face esquerda de Zayn, desejei-lhe um bom descanso e sem fazer barulho dirigi-me para a cama. Adormeci pouco tempo depois....

Sex | 06.04.12

Querer até queria ... poder é outra coisa

Queria estar a empaturrar-me de gelado e está frio lá fora, nevou e tudo.

Queria segurar a tua mão e dizer-te o quanto significas, mas não posso pois já tens quem o faça.

Queria escrever até de amanhã de manhã mas, ideias são poucas.

Queria ver a segunda temporada da Gossip Girl [faltam uns dez episódios] mas, a biologia está à espera.

Queria ter a melhor amiga aqui comigo mas, ela anda mais interessada noutras coisas.

Queria ler o novo livro do Nicholas Sparks mas, não o tenho e ninguém que conheça o possui.

Queria que vocês me deixassem asks no tumblr mas, devem andar a comer chocolates.

Queria que o Liam Payne se resolvesse a namorar com a minha best mas, a Danielle apanhou-o primeiro.

Queria ter o Zayn ao pé de mim mas, o menino está nos Estados Unidos -.-

Queria ... Mas não posso...

 

Amanhã devo postar um capítulo da BYLM

Ter | 03.04.12

Música ♥



E andar pelo facebook sem fazer nada, tem destas coisinhas. A J.Lo está mesmo empenhada em mostrar que está aí para as curvas e faz ela muito bem. Que músicas é que andam a tocar nos vossos telemóveis, computadores, mp3's, mp4's, ipod's, psp's...?

Pág. 1/2