Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweet Nothing

Sweet Nothing

Dom | 05.12.10

Vai ser bonito,vai

Olá leitores, como está a correr este domingo? O meu ainda agora começou - não sei como deixei-me dormir até 13h00. Agora caí na realidade, esta semana vai ser horrível.

 

 

 

 

Segunda - feira : 08h30 - 10h20 : Teste de Matemática ; 16h45 - 18h15 : Teste de Inglês

Terça - Feira: 08h30 - 10h20 : Teste de TIC

Quarta - Feira : FERIADO

Quinta - Feira: 11h55- 13h25 : Teste a Português

Sexta - Feira: 11h55 - 12h40 : Teste a Ed.Física

 

 

 

Sab | 04.12.10

Dreams of Love - Capítulo VI - Será?

Saí da cama, abri a janela e deixei que Berna me conquistasse pelo seu cheiro. Em nada se comparava com o do Porto ou mesmo o de Lisboa. Saudades… 

Abri o meu roupeiro, vesti umas leggins simples pretas, umas sapatilhas cinza, uma camisola branca e um casaco desportivo também cinza. Costumava vestir-me de uma maneira confortável em dias frios e como sabia que em princípio não sairia de casa, optei por um look mais desportivo. Fiz a minha cama e dirigi-me até à casa de banho, onde lavei a cara com água fria, lavei os dentes e as mãos. O meu cabelo estava uma autêntica desgraça, os caracóis estavam um autêntico ninho pois depois do banho de ontem não o tinha secado devidamente. Acabei por conseguir desembaraçá-lo e ao tê-lo mais ou menos liso, fiz um rabo-de-cavalo. Olhei-me ao espelho, já não gostava do que via há muito tempo, já não me sentia bonita. Respirei fundo mais uma vez, a garganta e o nariz ressentiam depois de efectuar este movimento, parece que dormir ao relento não tinha sido muito boa ideia. Encarei a realidade e fui ver quem é que estava em casa. Dirigi-me até à cozinha, abri a porta devagar e vi o meu pai, de costas voltadas para mim e com o olhar preso no horizonte segurava uma caneca de café.
A porta de madeira rangeu ao sentir o meu toque e o meu pai olhou-me:

- Querida, já está acordada? Devia ter ficado a descansar mais um bocado, como se sente? – perguntou-me com voz doce.

- Só me dói um pouco a garganta e o nariz, mas de resto estou bem. Não consegui dormir mais e fiquei a pensar no que teria para falar comigo. – Olhei-o ao dizer estas palavras e dirigi-me à fruteira de onde retirei uma maçã vermelha, sentei-me perto da janela da cozinha. O meu pai sentou-se a meu lado, pousou a caneca na mesa e entrelaçou as mãos, uma na outra, um tique típico do seu nervosismo. O silêncio instalou-se, era apenas quebrado com o barulho das minhas mordidelas na maçã.
- Pai, por favor não prolongue este silêncio e pergunte o que tem a perguntar.
- Mariana, eu preciso de saber o que realmente a menina quer, quero ouvir da sua boca as justificações para a situação que provocou na noite passada, o porquê da sua falta de atenção na escola, o porquê da sua tristeza neste último ano. – se era verdade que ele queria, era verdade que ele ia ter.
- Só agora é que o senhor percebeu a minha tristeza? Ou foi alguém que o ajudou a chegar a essa conclusão? – Lembrei-me do telefonema misterioso da noite passada. – Pai, diga-me a verdade. O Fábio tem alguma culpa, na sua preocupação repentina, não tem? Era com ele que estava a falar na noite passada? – Conhecia o meu pai bastante bem, baixou os olhos, pegou na caneca de café e voltou a encarar o horizonte pela janela.

- Sim, Mariana o seu primo estava bastante preocupado e depois de você voltar para casa eu estive a falar com ele, porque é que a menina não nos contou sobre o João?–eu não ia rever aquele pesadelo outra vez, outra vez não.
- Pai, por favor. Não me obrigue a falar do que eu não quero, não me obrigue a relembrar o passado… - as lágrimas estavam formadas e prontas para cair – pai por favor, se é para falarmos sobre ele eu não quero ter esta conversa.
- Pronto calma Mariana. O Fábio explicou-me o que aconteceu, mas eu e a sua mãe queríamos ter sido os primeiros a saber, o que lhe aconteceu não o devia ter guardado para si.

- Eu não o guardei para mim, eu abri-me com a Andreia e com o Fábio. Sabe porquê? Eu nunca me senti amada por si e pela mãe, e talvez isso me tenha feito explodir ontem há noite. – as lágrimas já me escorriam pelo rosto, o meu pai voltou a sentar-se a meu lado. – Eu estou farta disto pai, estou farta da vossa indiferença mediante os meus problemas, estou farta de não termos uma relação normal, estou farta de não viver a minha vida, estou farta de ser infeliz… estou farta da minha vida.
- Mariana, nunca duvide do meu amor e do da sua mãe por si.
- É impossível isso acontecer, a cada dia eu tenho mais e mais certezas que vocês não se preocupam e não me consideram vossa filha. – A amargura tomou conta da minha voz, terminei de comer a maçã pus o caroço no lixo e abandonei a cozinha. O meu pai seguiu-me até ao até ao quarto.

- Mariana, a nossa conversa ainda não terminou. – abriu a porta do meu quarto e encostou-se há ombreira da porta – O seu primo e a Andreia não descansaram enquanto não me convenceram, a mim e à sua mãe, que o melhor para si  era a menina regressar a Portugal.

Uma onda de alegria percorreu o meu corpo, eu não podia acreditar no que estava ouvir.

- Isso quer dizer, que eu vou voltar para Portugal? – perguntei a medo.

 

Sab | 04.12.10

Dia 3 - Os teus hobbies.

Olá leitores tudo bem? Bem, comigo nem perguntem - as coisas não melhoraram muito desde ontem. Imaginem vocês, a minha televisão embirrou outra vez e agora só dão alguns canais - disney channel; mtv portugal; rtp áfrica; caça e pesca e aqueles que uma pessoa nunca vê mas vêm incluídos no pacote.

As coisas com a minha colega não melhoraram e eu não me vou dar ao trabalho de lhe pedir desculpas, porque sinceramente o meu braço  já torceu demasiadas vezes.    Aquela vontade horrível de chorar continua aqui....

 

Dia 3 - Os teus hobbies.

 

 

 

Os meus hobbies variam, nem sempre são os mesmos.

 

Ler, fotografar, estar com os amigos, conversar, fazer novas amizades, mandar sms, investigar coisas novas para o blogue de moda, escrever, comer doces, estes são os principais...

 

Sex | 03.12.10

Eu quero vê-los no onze ideal da FIFA

Estava eu a divagar no Facebook quando me deparo com esta noticia: Onze da UEFA: Eduardo, Coentrão, David Luiz, CR7, Mourinho nomeados.

 

A eleição será feita pelos utilizadores do site oficial do organismo aqui . Se apoias Portugal deves ir ao site e escolher os jogadores que nos representam bem como o nosso excelente treinador Mourinho. Se um destes jogador representar o teu clube não hesites e vota nele. Eu ja fiz as minhas escolhas e nelas constam: Eduardo, Coentrão, David Luiz, CR7, Mourinho

 



 

Portugal x Espanha

 

Vamos fazer estes nomes estarem entre os onze melhores do Mundo.

Sex | 03.12.10

SNOW. SNOW.SNOW #3

 

 

Mais uma vez a Annie acordou com neve e não foi há escola. Tirando isto o dia está a correr pessimamente - a minha televisão não dá, não tenho nada para fazer; passei-me com uma colega minha; está um frio que não se aguenta; aptece-me chorar...

 

Actualização 1: A minha televisão já dá, foi preciso a minha mãe ligar para a zon e ameaçar que cortava o serviço para eles resolverem o problema. Como anda o nosso país ...


Qui | 02.12.10

Dia 2 - Os teus gostos (a especificar no dia).

 

 

Odeio quando as pessoas se fazem passar por aquilo que não são; odeio que as pessoas me julguem sem antes me conhecerem; odeio meninas mimadas que se acham superiores; odeio as pessoas que me chamam criança sem nunca terem falado comigo primeiro; odeio quando me iludem; odeio quando me dizem palavras que não mereço ouvir - bonitas ou feias; odeio a distância; odeio quando alguém sente ciúmes - e se for de uma amizade pior ainda; odeio a inveja; odeio as pessoas xenofóbicas e racistas;

 

Detesto peixe; detesto ter de acordar cedo; detesto ter educação visual - principalmente com aquela coruja velha; detesto as meninas da mamã; detesto que as pessoas não tenham dinheiro para comer; detesto ver uma criança chorar; detesto ver pessoas em dificuldades; detesto ver os noticiários; detesto quando Portugal não ganha alguma coisa; detesto o primeiro ministro; detesto a ministra da educação; detesto quando faço alguém chorar; detesto que se armem em coitadinhos; detesto ouvir sermões - sem ter culpa nenhuma; detesto "apanhar por tabela"; detesto quando os da minha turma se armam em bebes; detesto cerveja;

 

Adoro os cozinhados da minha tia e da minha mãe; adoro um bom dia de aulas; adoro uma boa sobremesa; adoro chocolate; adoro quando o meu cabelo faz caracóis; adoro moda - tenho um blogue; adoro quando comentam e dão a vossa opinião; adoro ter alguma coisa para fazer; adoro escrever; adoro ler; adoro a lua e o sol; adoro Lisboa; adoro tirar fotografias; adoro estar sozinha em casa; adoro ver filmes tapada com um cobertor; adoro séries de investigação e medicina; adoro matemática - equações - e não me chamem maluca pff; adoro basquetebol;

 

Gosto de conversar; gosto de ouvir Taylor Swift; gosto dos Paramore; gosto de ouvir Muse com as colunas no máximo; gosto de uma boa comédia romântica; gosto de carne de porca à alentejana; gosto de lasagna; gosto de pizza; gosto de coca-cola - embora prefira pepsi; gosto da minha cadela; gosto de comer gelados no inverno; gosto de música e produtos portugueses; gosto do inverno rigoroso; gosto de fotografias de NY & London; gosto de falar/ouvir inglês; gosto dos meus pais; gosto de estar feliz; gosto do perfume do melhor amigo da melhor amiga; gosto de passar dias enfiada no pc; gosto das férias; gosto de viajar; gosto de ouvir tocar piano e violino; gosto de bebes; gosto de medicina; gosto de Harry Potter & Twillight; gosto de ler fics na net; gosto do David Luiz; gosto do Sporting; gosto do facebook; gosto da melhor amiga; gosto de beber leite com café e tostas mistas; gosto da TVI; gosto da minha vida; gosto de sonhar...

 

 

Qui | 02.12.10

SNOW. SNOW.SNOW #2

Olá leitores, cá estou eu e desta vez mais cedo. Imaginem:

 

Por volta das 15h10 estava eu e a minha turma na sala, prontos para fazer o teste de matemática. O stor estava já com o testes na mão e nós a preenchermos o cabeçalho da folha de teste. Ouve-se aquele toque familiar na porta, o stor vai abrir e quem lá estava: a funcionária mais estupida da escola com um papel na mão: " Avisam-se todos os alunos das aldeias que devem ir para o portão da escola, pois segundo ordens da protecção civil estes devem dirigir-se para as respectivas aldeias."

 

Imaginem, a minha turma é composta por quinze alunos - catorze são das aldeias e das vilas mais próximas. Foi uma algazarra, o stor ficou com os testes na mão, e o único aluno da cidade também veio embora.

 

Resumindo: Por causa da neve, vim embora mais cedo e já me livrei de dois testes :D

 

Qua | 01.12.10

Parabéns Mary

 

Com a vossa ajuda o blogue chegou aos 1000 comentários. Quero agradecer a todas as pessoas que visitam este blogue diariamente - mais do que uma vez - que comentam e que divulgam. Sem vocês nada disto era possível. Se vocês soubessem a alegria que me fazem sentir no rosto cada vez que o número de visitas aumenta e encontro sempre novos comentários ... Obrigada, obrigada - mil obrigada.

 

Beijinhos, e aqui fica a plaquinha para a Mary.

 

 

 

Qua | 01.12.10

Dia 1 - Descrição de ti própria

 

 

Descrição de mim própria? Esta deve ser a melhor introdução para um desafio, mas como me prometi a realizar este desafio é o que vai acontecer. Sou uma rapariga, adolescente  - mas que muitos dizem ter atitudes de criança; tenho catorze anos (dia 23 de Janeiro, faço 15) apesar da minha "tenra" idade já passei por muito, já fiz sorrir e chorar mas orgulho-me de nunca me arrepender de nada; os meus olhos são castanho chocolate e o meu cabelo cai-me pelos ombros e possui a mesma cor - detesto quando não faz caracóis. Gosto de rir a gargalhada, gosto do cheiro do mar e da cidade de Lisboa, gosto de coca-cola - mas há dias em que a pepsi sabe melhor - adoro comer m&m's, adoro as conversas com a melhor amiga, adoro a minha mana ( Ree'), adoro escrever histórias sobre tudo e mais alguma coisa. Sou viciada em música - não passo um dia sem ela - não gosto de pessoas falsas, adoro sapatilhas, não aprecio salto alto. Prefiro dar do que receber. Sou sportinguista, mas adoro o menino dos caracóis - David Luiz. Adoro ver televisão - séries e programas intuitivos. Adoro o calor do verão e a neve que pinta o Inverno. Não gosto do dia de Natal.

Sou como sou , não o que querem que seja.

 

Capítulo here

Qua | 01.12.10

Dreams of Love - Capítulo V - Demonstrações e provas de carinho

V- Demonstrações e provas de carinho.

 

Coloquei as chaves na porta, a custo consegui abri-la e o meu pai veio em meu encontro:

- Querida, onde é que a menina se meteu? A menina está bem, o que se passou consigo e com a sua mãe? – a série de perguntas continuou até ele se aperceber que eu estava completamente encharcada. – A menina está toda molhada e com frio, tire esse casaco.
O meu corpo não tinha muita reacção, estava prestes a desmaiar. O meu pai fechou a porta, despiu-me o casaco que agora mais parecia uma toalha e encaminhou-me para a casa de banho. Ligou a água quente, deixou que a água enche-se até metade a banheira e foi ao meu quarto de onde trouxe o meu pijama mais quente, duas toalhas e roupa interior.

- Tome um banho quente, deixe que o seu corpo se habitue à temperatura da água, depois vá para a cama. – disse isto com alguma simpatia e preocupação na voz, quando se encaminhava para sair da casa de banho consegui proferir um “obrigada” ao qual ele respondeu: - Não agradeça, amanhã de manhã quando acordar vamos ter uma conversa e perceber o que realmente é melhor para si, durma bem. Até amanhã.
Aos poucos consegui despir a roupa, que se tornava mais pesada depois da chuva. Enfiei-me na banheira, fechei os olhos e fiz o que o meu pai me mandara. O meu corpo parou de tremer e depois de meia hora em água quente, saí do banho. Sequei-me, vesti o pijama, lavei os dentes e dirigi-me para o quarto. Não prestei a mínima atenção, nem sequer dirigi o olhar para a sala, mas pude perceber que a única pessoa que lá se encontrava era o meu pai, a falar ao telemóvel e desta vez não era trabalho. O assunto era eu e o que me ajudou a chegar a essa conclusão foi o facto de ele falar em português. Até podia desconfiar e tinha quase a certeza que sabia o nome da pessoa que se encontrava do outro lado da linha, mas não fosse o diabo tecelãs e eu enganar-me, dirigi-me para a cama. Só me lembro de adormecer com uma lágrima a escorregar pela cara.

Um barulho já familiar, despertou-me do meu sono: a máquina do café. A janela do meu quarto estava fechada e a persiana também, mas pelos buraquinhos conseguia entrar alguma luz, o dia não devia estar mau. Depois de piscar várias vezes os olhos, habituei-me há pouca claridade, estiquei o braço esquerdo e apanhei o telemóvel que tinha ficado na mesa-de-cabeceira. Carreguei no botão principal e vi as horas: 11h46. Consegui descansar algumas horas e sentia-me preparada para a conversa que iria ter com o meu pai. Duas mensagens recebidas: uma de Fábio* e outra de Rúben :p, estes dois não se cansavam. Abri primeiro a do meu primo: “ Mariana, sei que chegas-te a casa bem. Vais ter de enfrentar os teus pais, esclarecer as coisas. Adoramos-te”, respondi de imediato: “ Sim eu sei Fábio, o meu pai ontem disse que hoje iríamos ter uma conversa. Obrigada por tudo. Também vos adoro”, agora era a vez de ler a de Rúben: “ Mana, o Fábio ligou-me a avisar que estavas em casa. Ai rapariga, essa tua cabeça … Não me esqueci da tua “promessa”, fico à espera do teu telefonema e já sabes que quero saber tudo. Adoro-te mana”, com a mesma rapidez em que respondi a Fábio, respondi a Rúben: “ Sim, claro o meu primo e as suas escapadelas de informações … o prometido é devido fica descansado mano eu conto-te. Adoro-te, obrigada por tudo.”. Estava na altura de enfrentar a situação, assumir os meus actos, esclarecer as coisas e acima de tudo libertar a minha cabeça.

 

 

Pág. 4/4