Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sweet Nothing

Sweet Nothing

Qui | 30.09.10

Quotes #1

Olá leitores, hoje venho postar uma quote.

Espero que gostem da minha escolha, hoje esta frase tem muito a ver comigo:

 

Qua | 29.09.10

Don't stop dreaming - Capítulo #37 [Primeira parte]

Olá leitores, como tive tempo livre resolvi tentar fazer um capítulo. Parece que ainda ontem comecei a escrever e já vou no capítulo trinta e sete. Nunca pensei que conseguisse tantos comentários e ter tanta gente interessada nas minhas simples histórias, que são todas imaginação. Essa surge em muitos momentos, numa simples troca de olhares com as pessoas que me fazem feliz, numa simples conversa, numa simples música. Como sei que hoje a inspiração vai ser pequenina, e como não quero desiludir ninguém resolvi fazer este capítulo em duas partes. Esta vai ser a primeira, a segunda vou tentar escreve-la até sexta feira pela tarde.

 

Don't Stop Dreaming - Capítulo #37 [Primeira Parte]

 

Levantou-se e sentou-se de frente para mim com as suas mãos esticadas para as minhas, quando as alcançou, senti os seus dedos entrelaçarem-se aos meus e voltei a gelar. Eu sabia que ele não ia seguir o meu pedido, e ia continuar. Por um lado era melhor que assim fosse. Mas estaria eu preparada para o que aí vinha?

No momento em que as nossas mãos se tocaram, uma lágrima foi descendo dos meus olhos, escorrendo pelo meu rosto e caindo nas minhas pernas, Richard apercebera-se do meu sofrimento e limpou as minhas lágrimas com a sua mão direita.

 

Richard: Por favor, não chores. Eu tenho de continuar, eu tenho de te dizer o que me fez realmente pensar que a culpa fosse tua. Tu tudo daquele dia, por favor.

 

Levantei-me do puff e fui em direcção à janela, que estava entreaberta. A noite estava bastante calma, apenas um fio de ar corria, uma camada de ar fresco que me fez bem. Respirei fundo várias vezes, para tentar para o choro. Não queria que ele me visse sofrer, não queria mostrar parte fraca. Queria encara-lo da melhor maneira possível. Em tom seco, e com voz de choro disse:

 

Anne: Continua ...

 

Richard: Obrigada . - disse e depois continuou. - Quando acordei, só estavas tu no quarto. Estavas sentada num sofá pequeno que havia num canto, tinha sido o "turno" da mãe e ela tinha saído para tomar um café. Lembro-me que uma enfermeira entrou, e quando viu que eu estava acordado, começou a fazer-me perguntas. Eu só queria saber o que me tinha acontecido, e quando lho perguntei ela foi chamar a mãe. A mãe explicou-me o que se tinha passado.

 

* Inicio do Flashback de Richard *

 

Mãe: Richard, finalmente acordas-te! - beijava-lhe a testa e escondia as lágrimas de felicidade que lhe teimavam sair pelos olhos. - Como te sentes?


Richard: Tonto , mãe o que se passou? Porque é que eu estou aqui?

 

Mãe: Tu foste atropelado, enquanto brincavas com a Anne. Um carro veio na vossa direcção, a Anne estava no passeio e pelo que percebi tu ao atravessares foste apanhado pelo carro.

 

Richard: Mãe por favor, não me escondas nada, eu sei que não me estás a contar tudo.

 

Mãe: Querido, tu tens de perceber uma coisa. Tu vais ter de fazer uma coisa má para a mana, mas vai ter de ser. - a mãe de Richard, chorava, pois sabia que o que ia pedir ao filho ia ser difícil de perceber.

 

[Continua ...]

Ter | 28.09.10

Coisinhas Minhas #1 - E tu, jogas?

Olá, a todos. Bem - vindos ao blog, eu costumo apenas utilizar o blog para a história, mas resolvi fazer coisas mais pessoais. Afinal este blog não pode estar sempre dependente dos meus textos. Hoje, lembrei-me : "Hoje tenho mesmo de ir um bocadinho farmville."

 

Pois, eu sou daqueles que quando liga o computador, a primeira coisa que faz é ir ao facebook, cuscar um bocadinho a vida dos outros e jogar. Comecei por criar o face, para jogar naqueles jogos que lá estão.

 

Conclusão: Sou dependente do FACEBOOK & FARMVILLE.

 

E vocês?
Têm facebook, e jogam nestes jogos?
Beijinhos, Annie

Dom | 26.09.10

Don't stop dreaming - Capítulo #36

Olá leitores, aqui fica mais um capítulo da Don't Stop Dreaming, sinceramente espero que gostem. Desculpem se o capítulo não estiver do vosso agrado, ou se estiver pequeno demais. Desculpem ...

 

Renata, como fizes-te o comentário 500 dedico-te este capítulo e tens direito a uma plaquinha. Obrigada por tudo minha irmã. EU AMO-TE.

 

Don't Stop Dreaming - Capítulo #36

 

Deviam ser umas onze e meia da noite, e eu estava ali no quarto de Richard. Como tinha chegado até ali, e como tinha tido coragem para abrir a porta eram perguntas complicadas. O destino, podia ser a resposta que eu procurava, a resposta a todas as minhas perguntas. O destino e o futuro, essas duas palavras que ninguém pode adjectivar, que ninguém pode prever, que ninguém pode mudar e evitar, que palavras tão fortes que levam, por vezes, a acções tão fracas. Depois destes anos todos, eu tinha o que queria, mesmo ali há minha frente, Richard. Podem me censurar, mas ninguém imagina a dor que se sente ao estar ao lado dessa pessoa, ao ouvir essa pessoa falar, dizer o nosso nome ou simplesmente lançar-nos um sorriso. Um sorriso?Não. O sorriso, aquele que nos conforta e que nos faz esquecer qualquer problema. O pior, sim a parte pior, surge quando as maçãs do rosto voltam há sua posição inicial, e esse sorriso se desvanece, aos poucos até terminar. Ouvi os meus pais a desligar a televisão e a apagarem a luz da sala, deviam ir deitar-se. Voltei a encarar o rosto de Richard, os seus olhos, o espelho da alma como muita gente diz, irradiavam esperança. A esperança essa eu sabia que dependia de mim, por mais que eu tentasse eu não podia adiar mais aquela conversa, já custava o suficiente passar por ele e não lhe dirigir uma palavra. Respirei fundo uma vez. Respirei uma segunda e há terceira consegui dizer:

 

Anne: Richard, eu vou ouvir-te. - um sorriso apareceu de novo na sua cara. - Mas por favor, não me peças o impossível, não me peças que te perdoa ou perceba imediatamente.

 

Richard: Já é um bom começo, só peço que me oiças. Eu não te vou julgar pelo que possas pensar de mim, mas eu simplesmente tenho de dizer e tenho de tentar que me perdoes. - Olhei-o, como se de uma repreensão se trata-se, ele apenas assentiu com a cabeça, mostrando que tinha percebido o meu olhar. - A teimosia sempre foi uma das coisas que tivemos em comum, não foi?

 

Anne: Sim ... - perdi-me em memórias que o tempo nunca tinha apagado. Tinha vontade de partilhá-las com ele, mas proferir mais do que três ou quatro palavras era me doloroso.

 

Richard, fechou a porta do quarto quando percebeu que eu ia ficar, para ouvi-lo. Sentou-se na cama, que estava feita com uma colcha vermelha, e com umas almofadas castanhas. Sempre tivera bom gosto, e as suas cores eram sempre as minhas cores preferidas. Fez sinal para que eu me sentasse a seu lado, preferi não fazê-lo. Provavelmente, magoei-o com a minha atitude, mas mais magoada estava eu, e ainda me era dificil, habituar-me há ideia de estar fechada num quarto, uma divisão de quatro paredes, a ter uma conversa (não muito correspondida da minha parte) com Richard, com o meu irmão Richard.

Acabei por me sentar, perto da cama num puf preto que ele tinha no quarto. Respirei uma vez mais, o quarto estava em silêncio e eu fui capaz de ouvir a sua respiração, confusa e rápida.

 

Richard: Anne, - começou por proferir o meu nome, que vindo dos seus lábios era simplesmente perfeito. - Eu sei que te magoei, eu sei que fui um estúpido, eu sei que fui um cobarde, fui a pior pessoa do mundo para ti, para ti que não merecias. Lembro-me de todos os momentos da nossa infância, lembro-me do dia em que aprendemos a tocar piano, os dois. Lembro-me do dia em que me imploras-te para jogar às bonecas e às casinhas contigo, e da cara que fazias quando eu te pedia para jogarmos aos policias e ladrões. Tudo era perfeito, éramos os irmãos mais cobiçados da cidade, como a mãe dizia, tínhamos tudo e acima de tudo percebíamos-nos com uma simples troca de olhares.  - não foi preciso esforçar nada, um sorriso de saudade apareceu na minha cara- Todos os dias, penso nisto, ando às voltas antes de adormecer a pensar como tudo era perfeito e como eu estraguei tudo. Estraguei tudo, por causa daquele inútil, aquele homem que me atropelou e que nunca foi encontrado.  Entrei em coma, três meses e sei que estives-te sempre lá. Não falhavas uma noite, e por estranho que parecesse eu sabia-o , eu sentia a tua presença, aqueles dias, o dia do acidente e o dia em que acordei parece que mudaram as nossas vidas e tudo por minha culpa. Acordei, e vi o estado em que estava. Não me preocupei logo comigo, vi que estava num hospital, ligado a imensas máquinas e olhei ao meu redor e foste tu a primeira pessoa que vi.  Não te consigo explicar as sensações que se apoderaram de mim naquele momento: raiva, alegria, frustação, medo , estas foram algumas delas.

 

Anne:Richard, por favor não continues - já estava em lágrimas, parecia que tinha recuado anos atrás e estava a viver aqueles momentos.

 

Richard: Anne, por favor, eu tenho de continuar. Ouve-me até ao fim por favor.

 

Levantou-se e sentou-se de frente para mim com as suas mãos esticadas para as minhas, quando as alcançou, senti os seus dedos entrelaçarem-se aos meus e voltei a gelar. Eu sabia que ele não ia seguir o meu pedido, e ia continuar. Por um lado era melhor que assim fosse. Mas estaria eu preparada para o que aí vinha?

 

Dom | 26.09.10

As minhas leituras

Olá a todos, bem vindos mais uma vez ao blog. Espero que o dia tenha começado bem. Aproveitem o último dia deste "pequeno" fim-de-semana. Amanhã, eu pelo menos vou ter de me levantar cedo para ir para a escola.

Bah {#emotions_dlg.sidemouth}, quem é que inventou as obrigações?

 

Resolvi mostrar-vos as minhas leituras. Quando o que me perguntam o que gosto mais de fazer nos tempos livres as respostas são sempre estas: " tv, internet, escrever..." . É verdade, esqueço-me sempre de referir a leitura, mas para mim a leitura é um prazer, que me surge a variadas horas do dia, não é uma coisa que faça sempre nos tempos livres, apenas faço quando me apetece. Tenho panca pela leitura? Sim, pode-se dizer que sim. Já acordei ás quatro da manhã, sem sono e ficar a ler até ao amanhecer, simplesmente pelo prazer de descobrir as histórias que surgem por aí, dos factos mais reias ao da mais pura e fértil imaginação.  Na semana passada li:

 

Fairy Oak - O encanto das trevas. 

 



 

Sinopse: O Inimigo cerca Fairy Oak e o seu poder torna-se mais forte de dia para dia. A antiga aliança entre a luz e as trevas vacila. No entanto, um laço parece indissolúvel: o que une Baunilha e Pervinca, as feiticeiras gémeas, iguais e opostas; luz e trevas no mesmo sangue. Sobre este laço, o Inimigo desfere os seus golpes. Poderá Pervinca resistir ao encanto das trevas? É daí que dependerá a salvação dos Mágicos e dos Não-mágicos.

 

O livro tem 384 páginas, é uma leitura bastante rápida e apesar deste ser o segundo volume da trilogia, eu fiquei a perceber a história. Tenho pena de não ler o primeiro volume, mas ando a fazer de tudo para o arranjar. É um livro fantástico e o que estive a pesquisar sobre a trilogia, apaixonou-me. A autora chama-se Elisabetta Gnone.

 

Neste momento, ando a ler "Quem ama acredita", de Nicholas Sparks. Estou a adorar, devo acabá-lo hoje pela noite, ontem li duzentas páginas por isso estou praticamente a terminá-lo.

 

Beijinhos, espero conseguir postar um capítulo hoje.

Sex | 24.09.10

Don't stop dreaming - Capítulo #35

Olá leitores, com saudades da minha história? Eu também, e muitas mesmo. Vou tentar libertar-me das angústias que esta semana me trouxe e escrever o melhor capítulo que conseguir. Desculpem, se sair uma autêntica porcaria, mas aqui vai. Beijinhos e aproveito para relembrar que esta história está a perto do fim, será que os manos se vão entender? Quais as revelações que estarão para vir? Tentem descobri-las.

 

 

Don't Stop Dreaming - Capítulo #35

 

Richard tinha acabado de sair da casa de banho, e eu ali especada. No quarto dele, mas o que é que eu estava a fazer? Porque é que eu tinha entrado lá? Eu nem sequer lhe tinha dirigido uma palavra que fosse durante este últimos mês. O máximo que consegui fazer, foi dirigir-me até há porta do quarto, mas Richard apareceu logo de seguida há minha frente, o que me fez recuar até há minha posição inicial. E agora? Voltei a congelar e a quebrar-me em mil pedaços quando a sua voz perfeita,chamou pelo meu nome:

 

Richard: Anne - disse com um sorriso - está tudo bem? Precisas de alguma coisa?

 

Anne: Ah .... ah ...

 

Não consegui dizer nada, o meu irmão, aquele que me tinha implorado que eu o perdoasse, que tentava a todo o custo conversar comigo e explicar-me as suas razões, estava agora ali há minha frente, a perguntar-me se eu precisava de alguma coisa. Tinha uma certa vontade de lhe pedir que me abraçasse, tinha vontade de ouvir as suas razões, mas a minha teimosia era maior do que qualquer coisa no mundo. Passei por ele sem lhe dizer uma única palavra, mas o seu braço agarrou o meu pulso.

 

Richard: Espera ... Anne. Eu preciso de te mostrar uma coisa, de te dizer o que tenho a dizer o mais depressa possível, se não rebento. Eu só te peço que me ouças, só desta vez. - disse-me isto tão rápido e de uma maneira tão sincera que me detive e virei-me para trás. Era agora, que eu ia ter de enfrentá-lo e ouvir as suas palavras. Tomei coragem.

 

Anne: Rich...ard, eu não vou conseguir ouvir. - as lágrimas já estavam na borda dos olhos, prontas para descolar. - Desculpa, mas eu não vou conseguir.

 

Mais uma vez, aquela parte fraca, voltava ao de cima. Por mais que eu quisesse eu não ia conseguir, podem me achar estúpida, mas depois de tanto tempo, afastada da pessoa que mais amei no mundo, e que secalhar ainda amo, ouvi-la implorar pelo meu perdão e ouvir as suas explicações.


Richard: Por favor, eu só quero que tu me oiças, só uma vez. Deixa-me explicar-me, tu não precisas de me dizer nada, eu só preciso que me oiças. Eu não vou conseguir ir para .... - Richard deteu-se nas suas palavras. Ir, onde? Embora?

 

Tudo de novo? Separação? Anos e anos sem poder olhar para o seu rosto? Eu ia ouvi-lo, mas não tinha de pensar em todas as frases que por ele seriam ditas, tinha de pensar em todas as hipóteses.  Será que a palavra "perdão" ainda pertencia ao meu dicionário? Seria desta vez, que tudo ia ficar bem? Sim ou não? Tantas perguntas, e todas elas sem uma simples resposta. Uma simples certeza

Sex | 24.09.10

Desafio

Olá leitores, finalmente a inspiração surgiu e aqui estou eu. Primeiro vou realizar este desafio que encontrei num blog que visito regularmente.

 

1 - Como te sentes hoje?   Um volto já - João Pedro Pais ( Uau, isto está a começar mesmo bem)


2 - Vais ser alguém na vida? Bleeding Love - Leona Lewis ( Ui, para os lados do amor isto não está nada bem)

 

3 - Como os teus amigos te vêem?  Tonight - Jay Sean ( Hoje há noite?)


4 - Vais casar? Sweet Dreams - Beyonce (Será como nos meus sonhos, ou será apenas neles?)


5 - Qual é a música do teu melhor amigo? Gimme More - Britney Spears ( Fábio? Que atrevido :)


6 - Qual é a história da tua vida? Magnificient - U2 ( assério? quando ela foi assim avisem-me)


7 - Como é que foi a escola secundária? Empire State of Mind - JAY-Z feat Alicia Keys (Hum , interessante :D)


8 - Como é que podes ir adiante na vida? Sambalalele - Dario Nunez & Freddy Marquez Feat Don Felix


9 - Qual é a melhor coisa nos teus amigos? Closer to the edge - 30 seconds to mars ( Mais perto do limite? Sim eles são muito limitados, mas únicos)


10 - O que é está "in" esta semana?  One Heart - RIO ( Começo a gostar deste desafio)


11 - Como é a tua vida? Boys Boys Boys - Lady GaGa -( Oh my fucking god, quem me dera a mim mas sem exageros tá? Um que eu cá sim, chegava-me)

12 - Que música vai tocar no teu funeral? My Heart is Addicted - Andrea Martin ( Assério? Adorei a resposta e estou o: )


13 - Como é que o mundo te vê? Patience - Take that ( Eu, paciente? Só para quem quero)


14 - Vais ter uma vida feliz? Mamy - Dj Rooster & Samy Peralta ( ahaha, oh my god)


15 - O que é que os teus amigos REALMENTE pensam sobre ti? Introducing me - Nick Jonas ( Ahaha, uma introdução deles?)


16 - As pessoas têm inveja de ti?  Tu cuerpo me arrebata - Don Omar ( sem comentários --')


17 - Como te podes fazer feliz? Fifteen - Taylor Swift ( okay, eu espero mais um ano para ser feliz ao teu lado)


18 - Com que música farias um striptease? Breathe - Taylor Swift & Colbie Caillat (demasiado romântica e calma não?)


19 - Se um homem numa carrinha te oferecesse um doce, o que farias? Never gonna be alone - Nickelback ( é bom saber que a solidão não me afecta só a mim)


20 - O que é a tua mãe pensa de ti? Diferrent Summers - Demi Lovato ( Credo, eu nem fui feita no verão nem nada :) )


21 - Qual é o teu segredo mais escuro e profundo? HeartBeat - Margarida e Rui ( O bater do meu coração, talvez seja desconhecido para muita gente)


22 - Qual é a música do teu inimigo mortal? Not myself tonight - Christina aguilera ( ahaha, okay. não me lembro de ninguém)


23 - Como é a tua personalidade? You found me - The fray ( )


24 - Que música vai tocar no dia do teu casamento? Ayo Technology - Milow ( Boa escolha )


25 - Que música vai tocar na tua lua de mel? Bambo Leona - Don Omar ( ahaha)


26 - O que os desconhecidos acham de ti? California Girls - Katy Perry ( Uma rapariga da califórnia? Gostava :D )


27- A tua forma Fisica? Hot - Inna ( Fodasse, só elogios hoje)


28- Como a tua turma te vê? Put in a love song - Alicia Keys ft Beyonce


29- Como é o teu aniversário? Mi alma se muere - Fuego ft Pitbull


30- Como vai ser o teu marido? After the love - RIO ( ele tem de me amar sempre, ante e depois do amor, ahahaha)


31- Como é que a tua família te ? River flows in you - Yiruma ( obrigada família *o*)


32- como te sentes amanhã? Lickt it - Mainstream feat. Estelle martin ( estranho, muito estranho)


33- Quantas personalidades tens?  Fire With Fire - Scissor Sisters ( Pois, é fogo com fogo )

 

 

aviso: hoje vai haver capítulo

Qua | 22.09.10

Sorry, again♥

Mais uma vez, tenho de pedir desculpas. Sim ultimamente isto tem andado a acontecer frequentemente, e começo a sentir-me frustrada. Quando me surge a inspiração, não estou no computador ou com uma caneta na mão. Prometi, postar às sextas e domingos, cumpri parte da promessa. Domingo foi me impossível.

 

 

 

Peço mesmo imensa desculpa, as coisas também não estão a correr muito bem na escola.
Quando a inspiração surgir, serão os primeiros a saber.
Beijinhos

 

Sex | 17.09.10

Don't stop dreaming - Capítulo #34

Olá, já tomei uma decisão. Vou postar às sextas e aos domingos. Se durante a semana resolver postar será às quartas pela tarde. Aqui vai um novo capitulo, quero deixar um aviso. A Don't Stop Dreaming, está perto do fim. Um agradecimento muito especial a quem visita o blog sem ser avisado dos capitulos, e um grande obrigada a todos. Beijinhos

 

Capítulo #34

 

A porta do quarto de Richard estava entreaberta, a luz estava acesa mas Richard não estava no quarto. Devia estar na casa de banho, pois por baixo da porta vi que a a luz estava acesa e a porta estava fechada. Quando estava suficientemente perto da entrada do quarto, parei.

O que é que eu estava a fazer? O cansaço que eu tinha desapareceu quando coloquei a minha mão na porta e a abri. Não percebia porque é que o estava a fazer, mas quando tomava atitudes sem saber as consequências geralmente corriam mal. Durante aquele momento, em que encarei o quarto, o meu cérebro desligou, eu não ouvia nada e o não conseguia sentir a textura da porta de madeira. Apenas olhava, de uma ponta a outra, para o quarto do meu irmão. Os seus gostos eram exactamente os meus, a cor do quarto, a mobília e até a forma de arrumar era parecida, até nisso éramos iguais. Os meus olhos pousaram durante algum tempo no piano preto que se encontrava com várias partituras em cima e um caderno que estava aberto. Consegui ver que uma folha estava escrita, parecia uma carta ou um texto daqueles que se fazem para alguém. Dei mais dois passos, agora estava envolvida nas coisas de Richard. O andar de cima estava silencioso, apenas conseguia ouvir o barulho da televisão. A minha atenção voltou-se novamente para o quarto, ou mais especificamente para um quadro de cortiça, com algumas fotografias. Fotografias antigas, minhas e de Richard.

Eu e ele, nas várias etapas das nossas vidas de crianças, em dias diferentes. Reconheci duas fotos: uma era a do nosso primeiro dia de infantário, eu levava um vestido verde com o dois lacinhos na cabeça e Richard levava umas calças de ganga escura com uma camisa aos quadrados verdes. Lembrava-me perfeitamente que Richard adorava que a cor da camisa fosse a cor dos meus vestidos, tínhamos de ter pelo menos alguma peça de roupa da mesma cor. Richard tinha colocado várias fotos, e tinha até uma bem recente, de uma semana atrás.  A foto tinha sido tirada sem que eu tivesse dado conta, eu estava a descer as escadas, para ir ter com Taylor. Dei por mim a sorrir, ao ver o trabalho que Richard teve ao organizar as fotos e eu ser o rosto daquelas fotografias. Fiquei ali a olhar para as fotografias, olhei cada uma durante algum tempo, tentado recordar-me de quando tinham sido tiradas e de todos aqueles momentos e dias fantásticos da nossa infância.

Senti a porta da casa de banho a abrir, e o meu corpo gelou.

Qua | 15.09.10

Leitores ♥

Sim, é verdade. Aquele suplicio chamado "aulas" voltou.  O meu horário tem coisinhas muito boas ( duas tardes livres), mas as manhãs, são um autêntico pesadelo. Quanto a fic, eu estou a pensar escrever ou às sextas a tarde e aos domingos, ou às sextas a tarde e aos sábados.

 

 


SEXTAS E DOMINGOS?

 

OU

 

SEXTAS E SÁBADOS?

 

Escolham os dias que mais vos agradam, comentando. Beijinhos e boas aulas.

Pág. 1/2