Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sweet Nothing

Sweet Nothing

Dom | 19.08.12

One-Shot - One Thing.

Aviso: Coloquem em pausa o leitor de música que se encontra no fundo do blogue, e leiam esta one-shot com a música que se encontra neste post.

 

Como tinha ficado prometido e em seguimento deste post, aqui se encontra o segundo pedido. Este pedido foi mais fácil de realizar pois conhecia a música em questão de trás para a frente. Espero que gostem, e já sabem o que têm de fazer: se possível deixar um comentário ou transmitir a vossa opinião através do botão gostei ou não gostei que se encontra no final de cada post.

 

 

 

One-Shot - One Thing.

 

 Nenhum dos rapazes conseguia entender o que se passava com Liam desde a festa de lançamento do álbum. Nada parecia apontar para ser a razão plausível do estado de espirito daquele rapaz durante os dias que seguiram a festa. O tempo para esclarecerem o assunto com o mesmo também não era muito. Os cinco meninos mais famosos do Reino Unido andavam em total azáfama: os dias começavam bastante cedo e é sabido que na adolescência, acordar cedo não é tarefa fácil, quanto mais conversar sobre assuntos sérios/pessoais pela manhã. Depois de tomarem o pequeno-almoço no hotel onde se encontravam hospedados, dirigiam-se ou para a primeira de muitas entrevistas que teriam de dar nesse mesmo dia, ou para o local da próxima sessão fotográfica. Pela hora de almoço, o tempo escasseava e aproveitavam essa mesma hora para reporem energias e tentarem falar com a família. A agenda da tarde era tão ou mais preenchida que a da manhã: entrevistas para televisão, rádio ou revistas, sessões fotográficas, ensaios e reuniões com Simon e a respectiva equipa para ultimarem os preparativos para a tour.

 

- De hoje à noite não passa, temos de perceber o que se passa com o Liam. – Afirmou com convicção o rapaz irlandês, Niall.

 

- Por mais cansativo que hoje o dia seja, ninguém vai dormir sem perceber o que se passa. – A vontade que Louis tinha em saber o motivo pelo qual Liam andava mais tristonho era comum aos restantes integrantes da mais recente boysband. – Entendido, Zayn?

 

- Hey, - reclamou o moreno – eu posso gostar de dormir mas se tiver de passar a noite em claro para ajudar o Liam, faço-o sem problema algum.

 

 Tal como Louis tinha previsto o dia fora o mais cansativo daquela semana: num só dia tinham dado três entrevistas para a rádio, feito duas sessões fotográficas e ensaiado durante umas três horas. Estavam totalmente esgotados, e só eles sabem o quão dificil foi chegar ao hotel e depois do banho não se enfiarem na cama. Desta vez, todos eles tinham um quarto só para si mas não era isso que os impedia de passar o tempo nos quartos uns dos outros. Assim que terminaram o jantar, todos seguiram o mesmo caminho: quarto de Liam. Este, não tinha muita vontade de falar com os companheiros. Apesar deles serem os seus melhores amigos, preferia ficar isolado no quarto sem que ninguém lhe interrompesse os pensamentos.

 

- Agora que estamos aqui todos e que ninguém nos vai incomodar está na altura de nos explicar o que se passa contigo, Liam. – Começou Harry, depois de fechar a porta do quarto e de se sentar no sofá.

 

- Não se passa nada, eu estou bem. – Respondeu-lhes. – Está tudo normal, de onde é que vocês tiraram a ideia de que se passa alguma coisa?!

 

- Está tudo normal, Liam? Desde a festa que tu estás tudo menos normal. Nós não somos parvos, aliás somos os teus melhores amigos. Podes não falar, mas nós entendemos-te só de olhar para ti. – Foi a vez de Zayn usar a palavra.

 

- Liam, tu ias pegar numa colher1, - bradou Niall, e há medida que se levantava colocou-se há frente do rapaz de olhos castanhos – numa colher.

 

Liam suspirou, eles tinham razão: ele estava tudo menos normal: - Pronto, vocês têm razão. Lembram-se de eu ter falado com uma rapariga que estava perto do bar, durante a festa? – Ao ver que os rapazes se lembravam da bonita menina com quem Liam tinha conversado durante largos minutos, continuou: - Eu não consigo tirá-la da cabeça e só estive com ela uma vez.

 

- Isso resolve-se, mano. Liga-lhe. – Incentivou Zayn.

 

- Achas que se eu tivesse o número já não lhe tinha ligado? É claro que sim, só que eu não tenho o número dela. Eu não lho pedi. – Lamentou-se.

 

- Tu o quê? – Foi a vez de Harry falar, incrédulo. – Como é que possível, tu falares com uma rapariga linda e não lhe pedires o número? Liam, eu estive de olho nela a noite inteira e ela passou-te cartão a ti, a mim ignorou-me. Liam, a rapariga ignorou-me e não é qualquer uma que o faz. – O modo um tanto ou quanto convencido com que Hazza falou, levou todos a sorrir. – A rapariga não era nada de deitar fora, bem pelo contrário.

 

- E achas que eu não sei disso? – Perguntou retoricamente Liam.

 

- Ao menos sabes o nome dela? – Louis tentava ajudar o amigo, percebendo o que Liam sabia e as coisas das quais este não tinha conhecimento sobre a rapariga.

 

- Não … Quando lhe ia pedir o número e saber o nome dela, o Simon apareceu e levou-me para o pé de vocês. – Liam recordou o momento há medida que explicava o que tinha acontecido e no seu pensamento o olhar estonteante da rapariga era relembrado. – Eu não consigo tirá-la da cabeça. Sabem o que é eu estar a falar com ela e ter vontade de ficar ali horas e horas? Nós falamos durante uns dez minutos mas durante esse tempo, ela não me tratou como o Liam Payne dos One Direction. Ela tratou-me como um rapaz normal que tinha acabado de conhecer enquanto tomava uma bebida. Eu tenho sonhado com ela todas as noites, e não consigo pensar noutra coisa a não ser nela.

 

- Não deve ser dificil encontrá-la, Liam. – Depois de um momento de silêncio, foi Niall que tomou a iniciativa. – Se ela estava na festa tem de estar na lista de convidados.

 

- Exactamente, o Niall tem razão. Estavam mais de duzentas pessoas na festa mas mais de metade delas são pessoas do mundo da música, editores, produtores, cantores, pessoas que trabalham na companhia do Simon ou familiares de algum de nós. Já a tinhas visto antes? – Zayn e os restantes tentavam recordar-se da rapariga com quem Liam tinha conversado, mas não se lembravam de a ter visto noutro local a não ser a festa.

 

 - Não, a única vez que a vi foi na festa mas, o Niall tem razão: as pessoas que estavam na festa eram maioritariamente ou nossas conhecidas ou conhecidas do Simon. Se virmos a lista de convidados sabemos distinguir pelos nomes quem são. – Pela primeira vez nos últimos dias, Liam sorriu verdadeiramente.

 

(…)
 Nessa mesma noite, Liam ligou a Simon e pediu-lhe que lhe enviasse por correio electrónico a lista de pessoas que frequentaram a festa de lançamento do álbum porém, Simon como era conhecedor do dia agitado que os rapazes tinham tido aconselhou-os a descansar e no dia seguinte – bem cedo – Liam receberia a lista de pessoas que tinham frequentado a festa. Escusado será dizer que Liam quase não pregou olho nessa noite.

Tal como prometido Simon enviou a lista ainda de madrugada e tal como tinham combinado, os rapazes ajudaram Liam a procurar. Os nomes masculinos foram desde logo eliminados e não demorou muito mais que quarenta e cinco minutos para encontrarem três nomes que não reconheciam: Raya Green, Annmarie Scott e Serena Brown.

 

- Raya e Annmarie são nomes muito comuns cá em Inglaterra e eu lembro-me que ela não tinha sotaque britânico. É verdade que falava inglês fluentemente mas não me parecia britânica ou americana. – Esclareceu Liam enquanto olhava para os nomes.

 

- Estás a querer dizer que o nome dela pode ser este, Serena? – Ouvir o nome da possível rapariga que Liam procurava, dito com sotaque irlandês ainda o tornava mais bonito.

 

- Vêem, até no nome ela é especial. – Exclamou Liam, feliz da vida.

 

- Vai com calma Liam, tanto pode ser ela como não ser. – Louis mostrava-se preocupado, tudo o que queria era voltar a ver Liam feliz.

 

Liam sabia que os amigos estavam preocupados mas, de uma coisa o rapaz de Wolverhampton tinha a certeza: a rapariga com quem ele tinha falado durante a festa era Serena. Ele sentia-o, e era o coração que lho dizia. No momento em que Liam se preparava para marcar o número de telefone de Serena, a assistente pessoal de Simon apareceu e encaminhou os rapazes para uma sala onde o mesmo os esperava. Liam ainda tentou escapar-se mas Mary – a assistente pessoal de Simon – impediu-o, dizendo-lhe que o que Simon tinha para lhes dizer era urgente. Há medida que se dirigiam para o local que Mary tinha indicado, um nervoso miudinho começou a instalar-se no estômago de Liam. A cada passo que dava os joelhos ameaçavam falhar, tornavam-se pesados. Assim que a porta da sala se abriu, Liam percebeu o porquê. A rapariga que não lhe saia da cabeça desde a festa estava ao lado de Simon. No mesmo espaço fechado que ele, novamente. 
Assim que o olhar da rapariga se cruzou com o de Liam, um enorme sorriso apareceu no rosto de ambos. Sem perceber muito bem o porquê, a rapariga deixou de prestar atenção ao que Simon dizia e encaminhou-se para perto de Liam. Quando estava suficientemente perto dele, Liam não hesitou e fez o que há muito sonhava: abraçou-a. Depois daquilo, nada mais parecia ter importância. Alguns meses passaram e Serena e Liam puderam conhecer-se melhor, e desenvolver uma amizade que rapidamente passou ao nível seguinte. Todos os dias o rapaz reforçava a sua primeira certeza sobre Serena: ela tinha algo de especial, algo diferente de todas as outras raparigas. Ela tinha aquilo que ele precisava para se sentir completo.

 

1 O Liam, tem um certo receio a colheres. Há quem tenha medo de aranhas,cobras, ratos ... O Liam tem "medo" de colheres. Cada maluco, com a sua pancada.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.