Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sweet Nothing

Sweet Nothing

Qua | 18.07.12

Double-Shot - O rapaz da porta ao lado. #Parte 2

Obrigada por todos os comentários recebidos na primeira parte. Espero que gostem ainda mais desta última metade. Gostam deste tipo de histórias? Como sabem, já realizei uma one-shot com o Louis e esta double é com o Harry. Não sei se faço mais alguma com outro membro dos One Direction. Sem mais demoras, deixo-vos a segunda metade. Espero que gostem.

 

Na parte anterior:

No preciso momento em que a porta de entrada se fechou e o novo cliente deu dois passos, Megan embateu contra o mesmo, acabando sentada no chão. Joanne, automaticamente pulou do banco em que estava sentada e dirigiu-se a passo apressado ao encontro da irmã.

 

O Rapaz da Porta ao Lado - Parte 2

 

- “Decupa” Harry, eu não te vi. – Pediu Megan ao mesmo tempo que o rapaz à sua frente a colocava novamente em pé, ajeitando-lhe o vestido.

 

- Não tem mal, pequenina. Eu também não te vi mas, aleijei-te? – Tudo o que Harry menos queria era ter provocado algum dano na menina que costumava brincar na casa em frente à sua.

 

- Não, eu ‘tou …

 

- Megan, óh Megan estás bem? Aleijas-te, meu amor? Quantas vezes já te disseram para não andares a correr feita maluca aqui na loja? Hum? – Joanne aproximou-se da irmã e do desconhecido contra quem ela tinha batido.

 

- “Shim” mana, eu estou bem. O Harry ajudou-me a levantar. – Joanne olhou, finalmente para a pessoa contra quem Megan tinha batido. Era um rapaz, por sinal chamava-se Harry e Megan conhecia-o. Pela primeira vez, Joanne olhou Harry nos olhos e pode ser dito que se perdeu nos mesmos. Eram incrivelmente bonitos, de um verde-esmeralda que nunca tinha visto. O rapaz que se encontrava à sua frente possuía um rosto bonito, e os cabelos castanhos levemente encaracolados quase à frente dos olhos funcionavam como uma moldura perfeita para um quadro de igual qualidade.

 

- Oh … - foi a única coisa que Joanne conseguiu dizer depois de ver Harry sorrir-lhe e, finalmente conseguir parar de encará-lo – E já pediste desculpa ao Harry?

 

- “Shim”, não já pedi Harry? – Perguntou a menina, pedindo indirectamente que Harry confirmasse o que tinha acontecido e tentando trazer novamente a atenção do rapaz para si, visto que este agora encarava Joanne.

 

Harry tinha ficado espantado, se Megan era sua vizinha e a rapariga que viera ao seu encontro era sua irmã então também eram vizinhos. Como era possível nunca se terem encontrado antes? Na pior das hipóteses, já se tinham encontrado e Harry não tinha reparado naquela rapariga. Não, não era possível. Harry reparava sempre, especialmente em raparigas bonitas.

 

- Pediste sim senhora, - confirmou Harry brindando a pequena com um sorriso – mas a tua irmã – Harry colocou-se de cócoras e em tom baixo perguntou a Megan o nome da irmã e depois de receber a sua resposta voltou à posição original, olhando Joanne – Joanne tem razão, não devias correr aqui na loja. Imagina que não era eu que entrava naquele momento, podias-te ter aleijado a sério. Prometes ao Harry e à tua irmã que não voltas a correr na loja?

 

- Está prometido. – Megan olhou mais uma vez para os dois adolescentes que se encontravam ao seu lado e num ato espontâneo foi ao encontro de William, deixando-os sozinhos.

 

- Desculpa esta situação toda, a minha irmã é uma distraída e devia ter tomado mais cuidado. – Desculpou-se Joanne um pouco envergonhada pois Harry continuava a observá-la.

 

- Não tem problema nenhum, não te preocupes. – As mãos de Harry encontravam-se agora no bolso dos calções azuis e brancos que envergava.

 

- Desculpa perguntar-te isto mas, de onde conheces a minha irmã?

 

Harry sorriu ao notar a preocupação de Joanne: - Ao que parece, nós somos vizinhos. No dia em que chegamos a Megan e a tua mãe foram lá a casa entregar um cabaz de boas vindas e apresentarem-se.

 

- Oh … então tu és o filho dos meus novos vizinhos. – Concluiu.

 

- É, parece que sim – os dois jovens sorriram um para o outro – bem, não sei se já conheces mas aquele ali – Harry apontou para o homem que Joanne tinha identificado anteriormente como o seu vizinho – é o meu padrasto e também um dos teus novos vizinhos.

 

- Sim, acho que dos novos vizinhos eras o único que não conhecia.

 

- Costumam dizer que o melhor vem sempre no fim. – Harry sorriu, e Joanne gostou do modo um tanto irónico e convencido que Harry tinha utilizado. – O meu padrasto está a chamar, espero ver-te em breve Joanne.

 

- Eu também, Harry. – Harry sorriu uma vez mais e sentou-se ao lado do padrasto.

 

Joanne seguiu o seu caminho até ao balcão onde já tinha a sua garrafa de água, verteu o conteúdo para um copo com gelo e calmamente ingeriu o aquele líquido refrescante. Rose aproximou-se de Joanne e estiveram algum tempo a conversar, por vezes, Joanne apanhava Harry a olhar para si e sorria-lhe. A rapariga também não era inocente e, Harry também notou que era observado várias vezes.

 

- Bem Rose, acho que está na hora de eu e a Megan irmos embora. – Joanne pegou na sua carteira e retirou duas moedas para pagar a água, entregando-as à dona da loja. Megan chegou nesse mesmo instante perto de Joanne, e despediu-se de Rose dando-lhe um beijo delicado na bochecha. – Adeus Rose.

 

- Adeus meninas.

 

Joanne abriu a porta e cedeu passagem a Megan que ia toda contente com um saco recheado de gomas nas mãos. Antes de sair do estabelecimento e colocar os seus óculos de sol na cara, Joanne lançou um último olhar a uma mesa em específico. O rapaz dos cabelos encaracolados sorriu-lhe, um sorriso diferente de todos os outros que tinham trocado naquela tarde, um sorriso mais aberto – talvez por perceber que Joanne o tinha procurado uma última vez.

Joanne e Megan caminharam até casa envolvidas num silêncio pouco constrangedor, apenas interrompido pelo barulho provocado pelas mãos de Megan a embater contra o saco de plástico que transportavam as gomas. Joanne vinha com a cabeça longe, no seu novo vizinho.

 

- Queres uma goma, mana?

 

- Não princesa, come tu. A mana não está com muita vontade de gomas.

 

- Gostaste do meu amigo Harry? – Porque é que Megan não tinha continuado aquele silêncio, porquê? – Eu acho que gostaste, e ele também gostou muito de ti.

 

- Ai sim? E como é que tu sabes, minha espertalhona? – Joanne levou o dedo indicador ao narizinho da sua irmã ao mesmo tempo que falava.

 

- Antes de ir ter contigo para virmos embora, passei pela mesa do Harry e sabes o que ele me disse? – Megan não deixou que Joanne lhe respondesse, não era essa a sua intenção. – Disse-me que já sabia porque é que eu era tão bonita, porque saía à minha irmã mais velha.

 

Joanne nada disse, o facto de Harry a ter achado bonita tinha despertado em si sensações novas. O seu estômago parecia ter diminuído de tamanho, e tinha-se formado um nó na sua garganta que não permitia que Joanne falasse. A rapariga de cabelos negros apenas sorriu. Talvez nos próximos dias fizesse uma visita aos novos vizinhos, aproveitando para se apresentar em condições… e ver o rapaz da porta ao lado. 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.