Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sweet Nothing

Sweet Nothing

Before You Leave Me - Capítulo XVII

Olá caros leitores, peço imensa desculpa pela demora mas só agora é que me foi possível sentar e tentar escrever alguma coisa. Peço desculpa por não estar ao meu melhor nível mas têm acontecido algumas coisas inesperadas que me têm deixado emocionalmente muito mal. Espero que compreendam.

É muito importante para mim que comentem este capítulo, quem o faz regularmente ou mesmo quem nunca o fez. Obrigada.

 

 Depois da saída de Kate, o ambiente tornou-se pesado. Assim que Zayn regressou à sala, Rose aconchegou-o nos seus braços e Charles voltou a encher o copo com creme de uísque, bebendo o conteúdo de uma golada só. Eu e Harry mantínhamo-nos de olhos postos um no outro. Como seria a partir de agora? Charles pediu desculpa, despediu-se de Harry com um abraço e deu-me um suave beijo na testa, e seguiu para o quarto. Zayn e Rose mantiveram-se nas mesmas posições, ambos de pé e Zayn com a cabeça apoiada no ombro da mãe. Dirigi-me para a sala de jantar e comecei a recolher a loiça suja para o lavatório, Harry segui-me os passos.

 

                - Estás bem? – Foram as palavras que me dirigiu depois de ter poisado os últimos pratos na banca e de fechar a porta da cozinha.

 

                - Sim, não tenho razões para estar mal Boo. – Exclamei abrindo a torneira. – Afinal de contas, isto até pode ser uma coisa boa para o Zayn…

                - Eu não consigo perceber o porquê de ela voltar agora. – Harry manteve-se perto de mim e ia-me chegando a loiça suja.

 

                - O tratamento deve ter terminado e os médicos devem ter aconselhado a que voltasse para casa. – Supus.

 

                - Sim mas… Ela tem a perfeita noção que magoou imenso o Zayn, e tem a lata de vir a casa dele como se nada fosse. Aliás, vem no dia dos anos da Rose…

 

                - Harry não é uma questão de lata. É normal que ela queira rever o Zayn, mostrar-lhe que é a Kate de antigamente e que já está bem. Que está normal. É normal que ela queria a vida que tinha antes da droga e dos problemas em que se meteu.

 

                - Então, e pelo menos da minha parte, não vai ter muita sorte. – Harry pegou num pano e começou a secar a loiça. Notava-se que o regresso da “amiga” não lhe tinha agradado.

 

                - Boo’, não podes ser assim.

 

                - Não posso ser assim? É claro que posso ser assim, ‘Bie. Posso ser assim e de todas as maneiras que me vierem à cabeça. Ela conseguiu deixar o meu melhor amigo de rastos, conseguiu deixá-lo irreconhecível e agora vem como se nada tivesse acontecido? Sem um pedido de desculpas? Não, comigo não. Nem que se ponha de joelhos ou que me dê todo o dinheiro do mundo.

 

                - Boo’ toda a gente merece o benefício da dúvida até prova em contrário.

 

                - Acreditas mesmo nisso depois do que o Danny fez? – Harry acabou de limpar a loiça e encostou-se à banca da cozinha – Colbie, tu também lhe deste uma oportunidade e depois ele veio aqui todo presunçoso dizer-te que sabia da tua relação com o Zayn e que te tinha na mão.

 

                - São coisas diferentes, Harry. Eu dei-lhe uma oportunidade mas nunca confiei a cem por cento nele. A história da Kate é totalmente diferente. – Suspirei.

 

                - É como te digo, a partir de momento que fez o que fez ao Zayn para mim morreu. – O braço de Harry veio ao meu encontro e encostou-me ao seu peito. – Queres-me contar como realmente te sentes? Eu sei que estás com medo…

 

                - Eu não estou com medo … - Depois de receber um olhar reprovador por parte do meu melhor amigo, revelei o que realmente me atormentava. – Pronto, talvez esteja com receio que agora que a Kate voltou o Zayn se esqueça de mim e que a transforme na sua única prioridade.

                - Só o Zayn sabe o que lhe vai na cabeça mas, ele gosta mesmo muito de ti para te afastar dessa maneira.

 

                - Eu sei, eu sinto que ele gosta de mim mas … Ele tem um passado com a Kate, um passado mal resolvido e agora tem-na aqui com ele.

 

                - Olha para mim. – Harry colocou as suas mãos no meu rosto e obrigou-me a encará-lo – É normal que o Zayn se aproxime dela, que lhe peça justificações. Eles têm muita coisa para conversar, muitos assuntos para discutir porém, é a ti que ele ama.

 

                - Eu sei … Só espero que ele não se esqueça disso. – Abracei Harry com toda a força que tinha em forma de agradecimento, e em troca recebi um beijo na nuca.

(…)

                Sentei-me no sofá enquanto Zayn levava Harry à porta, enquanto Rose se despedia de mim e recolhia ao seu quarto. Os dois amigos ainda ficaram um pouco à conversa no alpendre, enquanto eu tentava prestar atenção ao programa que passava na televisão. Deixei-me viajar em pensamentos e só despertei quando Zayn desligou a televisão. Olhei-o. Apesar do ar cansado, dos olhos inchados e da barba por fazer, Zayn continuava bonito. Os seus olhos amendoados percorreram os meus à procura de respostas, de qualquer informação que lhe permitisse decifrar o meu estado de espírito. O corpo cansado do moreno deixou-se cair junto ao meu, e as suas mãos entrelaçaram-se com as minhas. Ficamos assim durante uns minutos. Em silêncio, perdidos no olhar um do outro, a tentar perceber o que nos ia no coração.

 

                - Como te sentes? – Fui a primeira a interromper o silêncio.

 

                - Feliz. Cansado. Preocupado. Ansioso… - Zayn levou uma das mãos ao rosto e bufou, frustrado consigo mesmo. – Não sei Colbie, não sei como me sinto. Não sei o que sentir.

 

                - É normal, ninguém estava à espera que isto acontecesse e para ti deve ter sido difícil vê-la depois de tanto tempo.

 

                - Quando a vi à entrada, parecia que estava a sonhar ou que me tinham drogado e eu estava a ver coisas onde elas não existiam. Só quando ouvi a voz dela e lhe toquei é que percebi que era real.

 

                - E agora que é real, que te começas a aperceber que é mesmo verdade, o que sentes? – Tinha medo da resposta que Zayn iria proferir.

 

                - Por um lado estou aliviado porque pude ver com os meus próprios olhos que ela está bem, está igual … Quer dizer, fisicamente a Kate está na mesma. Por outro, não sei até que ponto posso confiar nela e voltar a criar laços de amizade.

 

                - Tens medo que ela te volte a desiludir, isso é normal. É perfeitamente normal que não confies como confiavas …

 

                - Eu sei e acho que ela também vai entender isso, só tenho medo deitar tudo a perder agora que ela voltou.

 

                - Tens medo de deitar tudo a perder? Como assim Zayn? – O meu tom de voz saiu mais elevado que o normal e arrependi-me disso em seguida.

 

                - Colbie põe-te no meu lugar, é complicado voltar a vê-la. – Zayn levantou-se e dirigiu-se até à janela. – Porra Colbie, eu sei que isto também mexe contigo mas vê as coisas pelo meu ponto de vista. A pessoa que mais amei e que mais me desiludiu está de volta e eu não sei se lhe posso dar uma oportunidade ou não. Eu não sei se ela está igual ou não, se vem em paz ou não. Se me vai voltar a desiludir ou não. Sabes o que é isso? – Zayn parou e respirou fundo, para depois continuar. – Ela magoou-me como nunca ninguém tinha feito. Desiludiu-me ao ponto de eu não ter vontade de ver ninguém, de não sair de casa, de ficar sozinho no meu canto. Fez-me pensar que eu não valia nada e que a culpa dela estar assim era minha, Colbie. Apenas e só minha. Fez-me pensar que eu era o responsável e que todas as pessoas que se davam comigo me iam desiludir. E agora? Agora voltou e como vai ser? Vou passar por aquilo tudo outra vez? Eu não quero isso, eu não posso voltar a passar por isso.

 

                O corpo de Zayn deslizou pela parede sem vida e quando encontrou o chão, os seus braços ladearam os joelhos e o rapaz forte que eu conhecia desmoronou mesmo ali na minha frente. Assim que o vi naquele estado, levantei-me e ajoelhei-me a seu lado. Num ato protector agarrei-me a ele.

 

                - Não vais voltar a passar por nada disso. Estou aqui para tudo. Desculpa, eu entendo que seja difícil para ti mas para mim também é complicado. – Zayn levantou o rosto e com as costas das mãos limpou as lágrimas que lhe cobriam o rosto. - Quando a vi na porta, houve qualquer coisa que me disse que era ela antes de se apresentar e também não te consigo explicar o que senti. Por um lado, apetecia-me trata-la mal por tudo o que te fez passar mas por outro, eu sei que ela continua a ser importante para ti. Desculpa a minha reacção, mas eu já fui trocada tantas vezes que tenho medo de que isso aconteça mais uma vez. E gosto tanto, mas tanto de ti, que tenho receio que ela te magoe como fez no passado.

 

                Zayn tomou-me nos seus braços e beijou-me, depois disso abraçou-me e assim ficamos durante muito tempo. Tínhamos dito o que sentíamos, tínhamos revelado os nossos medos e era tudo o que bastava para ficarmos mais calmos. Senti-me a ser carregada pelas escadas acima e dei conta que Zayn me descalçou as sapatilhas.

 

                - Levanta os braços, princesa. – A minha mente estava mais adormecida que acordada, porém ainda fazia o que ele me pedia. Zayn retirou a camisola que me cobria o tronco e vestiu-me uma das suas t-shirts. - Consegues despir as calças? – Desapertei-as e Zayn, com todo o carinho do mundo, despiu-mas e colocou-as ao lado da cama. Instintivamente o meu corpo deitou-se entre os lençóis da cama do moreno e pouco tempo depois adormeci.

12 comentários

Comentar post