Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sweet Nothing

Sweet Nothing

Coisas que se aprendem num TI

Como aluna do décimo primeiro ano que sou, hoje tive Teste Intermédio de Filosofia. Querem que fale sobre como correu? É melhor não, não me correu muito bem mas também não posso dizer que tenha sido horrível tendo em conta a "porcaria" (para não dizer outra coisa) de professor que tenho. Acontece que o dito cujo, entra na sala de aula liga o computador e passa a aula no facebook. Quando se lembra, dá uns dez minutos de matéria a correr e nem o livro abre. Não é capaz de levar uma caneta para a sala de aula. 

De segunda-feira para terça, lembrou-se que no dia 17 tínhamos teste intermédio e por isso enviou-nos um documento com cerca de 135 páginas sobre a matéria de 10/11 que constavam na matriz.

 

Acontece que se esqueceu de partes fundamentais da matéria, e os resultados não vão ser bonitos.

 

Tirando isto, o próprio enunciado do teste foi a pior coisa que vi até hoje. Sempre achei que as pessoas que trabalham para o GAVE (Gabinete de Avaliação Educacional) fossem pessoas competentes e que acima de tudo conhecessem a nossa língua, e o assunto que abordam nas provas que realizam. Sempre pensei que fossem pessoas com consciência de que, as provas que eles fazem, são um instrumento de avaliação importante para milhares de alunos por todo o país. Desta vez, os erros ocorreram num teste intermédio mas, e se fosse num exame nacional?


 

Durante o teste intermédio descobri que, das duas uma: Ou o número 4 é bipolar ou tem um irmão gémeo.


Mas, e como se isto não fosse suficiente, descobri todo um novo significado da palavra hipótese - uma situação que não é, mas que se imagina ou se supõe que seja, pra tentar saber como seria, se fosse.

Para mim, quando me apresentam algo hipotético são-me sempre apresentadas DUAS HIPÓTESES. Acontece que, para os senhores do GAVE, quando é apresentado algo hipotético é apresentada apenas UMA HIPÓTESE.
O que se passou foi o seguinte:
Meus caros, na minha opinião - e de todos os professores de Língua Portuguesa e de Filosofia da minha escola - o enunciado encontra-se mal formulado. Porquê? Porque não temos apenas UMA hipótese mas sim, DUAS.
"Ou és cristão." - UMA.
"Ou és ateu." - DUAS.
Em algo hipotético, são-te sempre apresentadas duas hipóteses (" Ou comes, ou bebes". " Ou acertas, ou falhas". " Ou vais pela esquerda, ou vais pela direita". "Ou gostas, ou não gostas"), porém tem apenas uma escolha.
É tudo.


8 comentários

Comentar post