Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sweet Nothing

Sweet Nothing

Before you leave me - Capítulo XV

Peço desculpa pela demora mas só foi possível postar e terminar o capítulo no dia de hoje. Não acho que esteja muito bem mas foi dos mais difícies de escrever porque foi apagado uma duas vezes. Peço desculpa se não gostarem, sou a própria a reconhecer que não é dos meus melhores capítulos. Desculpem qualquer cosinha e deixem a vossa opinião.

 

Before You Leave Me - Capítulo XV

                Três dias depois daquele momento no parque, a vida continuava igual. O fim-de-semana tinha passado a uma velocidade quase imperceptível talvez pelo facto de ter passado a maior parte do tempo rodeada de livros. Tanto eu como Zayn, tínhamos dois testes na semana que se seguia e depois poderíamos finalmente descansar, gozando das merecidas férias pelas quais todos os estudantes anseiam. Todas as noites antes de dormir, recordava os momentos vividos na última quinta-feira, no parque. Recordar aqueles momentos era quase como tomar um chá relaxante, conseguia esquecer as preocupações que invadiam a minha cabeça e depois disso tinha uma noite descansada.

                Mary andava estranha, tinha passado os intervalos bastante calada e por mais que eu e Niall nos tentássemos meter com ela, as suas respostas eram curtas e na maior parte das vezes não transmitiam qualquer emoção. Respondia, por responder. Do pouco que conhecia de Mary, foi-me possível verificar que esta estava preocupada com algum assunto. Algum assunto com certa gravidade. Mary não era o tipo de pessoa de se deixar afectar por qualquer coisa… Algo estranho a tinha deixado assim.

(…)
                - Boo, a Mary não anda bem. – Eu e Harry caminhávamos em direcção à papelaria local para comprarmos um presente para Rose, que completava naquele dia um bonito número de primaveras.

 

                - Bie, é como te disse, eu não reparei em nada estranho. Achas que é por causa do Niall?

 

                - Não, se fosse isso ela dizia-me. – Constatei. – E se fosse por causa do Niall ela não ficava assim. Além do mais, se a culpa fosse do Niall ela andava a evitar passar os intervalos connosco e não é isso que tem acontecido.

 

                - Pois, és capaz de ter razão … Mas nós temos de arranjar maneira de os juntar, eles adoram-se e só eles é que não percebem que, aquilo que os une é muito mais que amizade. - Estávamos já perto da papelaria quando voltei a virar a cabeça para trás. – Bie, ainda não paraste de olhar para trás … Achas que alguém nos vem a seguir? – Perguntou-me com um certo tom de gozo.

 

                - Não gozes Harry, já te disse que ando com esta sensação desde quinta. – Reclamei um bocado aborrecida por Harry brincar com a situação.

 

                - Olha para mim, - pediu-me colocando as suas mãos à volta do meu rosto – ninguém te anda a seguir. Okay?

 

                - Okay. – respondi, nada convencida, enquanto Harry abria a porta da livraria.

(…)

                Depois de termos disfrutado de um belo jantar, recolhemo-nos na sala de estar para distribuir os presentes a Rose.

 

                - Aqui está Rose, não nos mates. É dada com muito carinho e foi comprada pelos três – enquanto falava tentava acalmar Rose pois, como mãe e “tia” preocupada que era não queria que tivéssemos gastado tanto dinheiro naquele mimo – por mim, pelo Zayn e pelo Harry.

 

                - O que é que vocês andaram a fazer? Eu disse que não precisava de nada, meus queridos. – Afirmou Rose enquanto pegava no pesado saco que lhe tinha dado para as mãos. - Eu não acredito...

 

                - Nós sabíamos que andavas de olho nessa colecção de livros de culinárias desde que eles chegaram à papelaria … - afirmou Zayn.

 

                - Juntamo-nos todos e demos-te este mimo, tia. Não precisas de agradecer com palavras, se me fizeres um bolo de bolacha igual ao que vem aí na capa é um agradecimento mais do que suficiente. – Finalizou Harry, bastante divertido.

 

                - Cala-te “páh”, só pensas no bolo de bolacha da minha mãe – embirrou o moreno – depois admira-te se começares a rebolar em vez de correr.

 

                Antes que Harry se pudesse defender, a campainha tocou.

 

                - Vá meninos, parem lá com a discussão por meia dúzia de ovos, parece que temos visitas. – Foi a voz do homem da casa que soou enquanto o mesmo se levantava para abrir a porta ao visitante.

 

                - Deixa estar Charles, eu vou. – Ofereci-me visto estar mais perto da porta.

 

Encaminhei-me a passos ritmados até à porta de entrada, estava nervosa e não percebia o porquê de estar a sentir aquelas borboletas na barriga. Assim que abri a porta e acender a luz da entrada percebi. Diante de mim, encontrava-se uma rapariga com cabelo loiro – talvez um tom mais claro que o meu – pelos ombros, um sorriso perfeito banhava-lhe os lábios. Antes que ela disse-se alguma coisa, o meu interior dizia-me quem era aquela figura feminina.

 

                -Olá, eu sou a Kate… - a sua mão direita encontrava-se pendente à minha frente à espera que eu fizesse o mesmo.

 

                -Colbie. – Murmurei depois de engolir em seco e levei a minha mão em direcção à sua. Agora que reparava nos olhos de Kate, percebia o porque de toda a gente a achar parecida comigo. Não tenho a certeza do tempo que ficamos a olhar uma para a outra, a mirar os detalhes de cada rosto, porém e como se obra do destino se tratasse foi Zayn quem apareceu para ver o motivo de tanta demora.

 

                - Colbie, quem é que nos veio … - a frase ficou-lhe presa na garganta. Os olhos avelã do moreno deixaram de transmitir harmonia para transparecerem saudade e surpresa. Afastei-me um pouco da porta para que ambos tivessem a certeza do que estavam a ver, talvez não o devesse ter feito mas naquele momento pareceu-me o mais acertado. Mirei uma vez mais Kate, os olhos dela possuíam uma fina camada de água. Zayn, tinha lágrimas a banhar-lhe o rosto. Era a primeira vez que o via chorar, e mesmo que fosse de felicidade, vê-lo naquele estado partia-me o coração. – Kate… és mesmo tu?

 

A rapariga loira limitou-se a acenar com a cabeça, e segundos depois Zayn abraçava-a, enquanto eu assistia sem saber ainda que aquela reaproximação não seria benéfica para todos. 

Não tive tempo para rever, se encontrarem algum erro avisem.

21 comentários

Comentar post

Pág. 1/2